07/11/06

Jesualdo Ferreira: «Concluímos um ciclo terrível com cinco vitórias e um empate em Alvalade»

Já está. Agora sim, o F.C. Porto pode descansar, aproveitando a pausa na Liga para retemperar energias e optimizar mecanismos e transições. Depois da vitória em Setúbal, Jesualdo Ferreira deu por terminado o «ciclo terrível» de seis jogos, do qual a sua equipa saiu incólume e invicta, coleccionando cinco triunfos. Na interrupção do campeonato, o professor propõe-se dar continuidade aos progressos, numa relação que até já inclui um golo obtido na transformação de um livre directo. São estas as frases-chave do discurso do treinador dos Dragões após mais um êxito no Bonfim, que mantém os Campeões Nacionais na liderança isolada:
«Vamos desenvolvendo e aumentando as nossas capacidades à medida que os jogos vão surgindo, com as vitórias a aparecer e com níveis de confiança mais elevados. Apontei os 60 por cento como um patamar de rendimento do nosso momento e, a cada vitória que acrescentarmos, subimos seguramente esse valor.»
«A equipa hoje quis ganhar desde o primeiro minuto. A nossa pressão nos primeiros 15 minutos foi realmente muito forte. Também fizemos dois golos muito cedo e nem sempre isso acontece. Depois houve um ligeiro abrandamento e até, aqui e ali, algum deslumbramento, que não é positivo.»
«Na segunda parte voltámos a entrar bem, jogámos a um bom nível, criámos inúmeras ocasiões de golo e podíamos ter marcado mais, o que também acabaria por ser um resultado um pouco pesado para o V. Setúbal.»
«Não se tratou de abrandar, apenas de um estado de espírito normal e compreensível. A vencer, a equipa não foi tão pressionante, especialmente quando tínhamos a bola, o que é um aspecto que privilegiamos muito.»
«Tivemos algumas ocasiões para fazer o 3-0 mais cedo, mas fizemo-lo num belo lance de bola parada e também aí revelámos sinais de progressos.»
«Concluímos um ciclo terrível de seis jogos, em que conseguimos cinco vitórias e um empate em Alvalade. Os jogadores merecem o descanso que aí vem. O esforço foi grande, a intensidade dos jogos foi elevada. Estamos numa boa situação para podermos continuar a evoluir.»
«Não se trata de substituir o Anderson, trata-se de ter sempre 11 jogadores a jogar ao nível daquilo que o F.C. Porto exige. Com todo o respeito que tenho pelo Anderson, ele é tão importante como todos os outros jogadores do plantel. O F.C. Porto não pode ser reduzido ao Anderson nem a qualquer outro jogador.»
Ricardo Quaresma rubricou, ontem, mais uma grande exibição pelo FC Porto e com ela espera convencer o seleccionador Luiz Felipe Scolari.“Trabalho para o meu clube, mas um dos meus grandes objectivos é voltar à Selecção. Ainda assim, não estou preocupado com isso. A minha oportunidade há-de chegar”, realçou o extremo portista, reforçando que está a “ganhar confiança” de jogo para jogo.
Fonte: Site oficial, Record

Sem comentários: