08/12/16

Aconteceu a 8 Dezembro 1999

Neste dia, o FC Porto recebia o Hertha de Berlim para a segunda jornada da segunda fase de grupos da extensa Liga dos Campeões, que no formato de então obrigava a realizar 12 jogos para chegar aos quartos de final. O FC Porto venceu por 1-0, com um grande golo de Drulovic, num jogo que ficou também marcado pelo golo mal anulado a Mário Jardel, que estava em jogo dois ou três metros. 
Recorde os melhores lances do jogo:

28/11/16

Aconteceu a 28 Novembro 2000

Neste dia, a gala dos Dragões de Ouro consagrava dois atletas que se tinham integrado de forma excecional no clube: Deco e Chainho. O primeiro foi o melhor futebolista e o segundo, que saíria do FC Porto em 2001, o atleta do ano. Claro que a carreira de Deco foi superior e disparou nos anos seguintes, a ponto de ser considerado um dos melhores futebolistas do Mundo. Depois de ser campeão europeu pelos Dragões, em 2004, repetiu o feito no FC Barcelona, dois anos mais tarde, e representou ainda Chelsea e Fluminense, sagrando-se sempre campeão nacional.

17/11/16

Aconteceu a 17 Novembro 1912

Neste dia, António Santiago vence a prova principal de um dia de ciclismo no velódromo do Porto. A modalidade teve sempre muita popularidade no Porto – a primeira corrida de bicicletas em Portugal disputou-se em 1880 entre Matosinhos e a Foz – e o FC Porto depressa se tornou uma potência. Curiosamente, o velódromo do Porto ainda existe, nas traseiras do Museu Soares dos Reis e a Câmara do Porto tem planos para o recuperar, naturalmente não para provas de ciclismo, mas porque é uma construção com elevado valor da memória do Porto do final do século XIX, início do século XX.

08/11/16

Aconteceu a 8 Novembro 1983

Neste dia, Fernando Gomes recebe em Paris a primeira das duas botas de ouro que conquistou na carreira. Este primeiro troféu reportava-se à época 1982/83, quando o goleador fez 36 golos num campeonato de 30 jornadas. Gomes viria dois anos depois a ficar com o par de botas de ouro, quando repetiu a proza, marcando 39 golos numa edição do campeonato de 1984/85.

02/11/16

Aconteceu a 2 Novembro 1983

Neste dia também era quarta-feira e também era dia de jogo europeu à noite. O FC Porto defrontava o Glasgow Rangers à procura de anular a desvantagem trazida da Escócia (2-1), na primeira mão da segunda eliminatória da Taça dos Vencedores das Taças. O único golo da partida foi apontado pelo inevitável Gomes, a passe de Frasco. Reveja no vídeo o resumo do jogo em que os portistas asseguraram o apuramento para os quartos de final de um percurso que só pararia na final, em Basileia.



"Uma vitória deixa-nos próximos do nosso objectivo”

É com o pensamento apenas na vitória que Nuno Espírito Santo encara o jogo desta quarta-feira (19h45, Sport TV4), da quarta jornada do Grupo G da Liga dos Campeões, em que o FC Porto recebe, no Estádio do Dragão, o Club Brugge. O técnico dos azuis e brancos deixou bem claro que mesmo em vésperas de clássico com o Benfica, o único pensamento da sua equipa só pode ser este jogo com os belgas de somar os três pontos e dar um passo importante rumo aos oitavos de final da principal competição da UEFA. E revelou também que espera um jogo bem diferente do da primeira mão, em que os portistas venceram por 2-1​.

A importância do jogo nas contas do apuramento
É um jogo importante, como são todos os da Liga dos Campeões. Numa competição tão curta os resultados são muito importantes e neste caso uma vitória deixa-nos muito próximos de poder passar à fase seguinte.

Jogo da Champions em véspera de clássico
Seria um erro pensar em algo mais do que no jogo de amanhã. O nosso foco está na Liga dos Campeões, no jogo com o Brugge, que é para já o nosso único objectivo.

A análise à prestação na Liga dos Campeões
Nunca desvalorizámos o grupo. Sempre tivemos consciência que estavam presentes três campeões dos respectivos países. Sabíamos à partida que ia ser difícil. É um facto que não começámos a fase de grupos como pretendíamos, pois um empate em casa e uma derrota não era o que nós perspectivávamos. A vitória em Bruges mudou-nos e foi determinante. Agora não é altura de fazer contas, mas sim de conquistar os três pontos. Estamos dentro da luta, como queríamos, e esse é o aspecto a realçar.

A titularidade do lado direito da defesa
Temos sorte por ter todos os jogadores disponíveis e isso é muito importante, até porque estão todos muito motivados para jogar sempre. As decisões que temos vindo a tomar nesse posto específico passaram primeiro pela titularidade do Maxi e nos últimos jogos pelo Layún. Para este jogo temos ainda mais um treino para decidir qual dos dois vai jogar amanhã, mas volto a repetir que o que importa para mim é que todos estão disponíveis.

Partida decisiva para o Brugge
Espero que eles arrisquem um pouco mais. No primeiro jogo contra nós eles especularam bastante, deixaram-nos poucos espaços e certamente que amanhã não será assim. Apesar do nosso ultimo empate a ideia de jogo esteve lá. Vai ser fundamental manter o equilíbrio, pois é importante não concedermos muitas oportunidades aos nossos adversários. Nunca abdicaremos da procura do golo e com mais espaços podemos e devemos ser mais eficazes. O nosso foco está nos três pontos e com certeza que com o Dragão a apoiar-nos vamos conseguir. Jogamos na nossa fortaleza, o Dragão também vai jogar.

Depoitre para o futuro
O Depoitre juntou-se a nós já com a época em andamento. Nós apreciamos muito as suas qualidades e embora até agora não tenha sido muito utilizado, certamente que contamos com ele para o futuro.

Doce tradição


25 de outubro de 1972, no Estádio das Antas, foi dia do FC Porto se estrear a receber uma equipa da Bélgica nas competições organizadas pela UEFA. O adversário foi precisamente o Club Brugge que, numa eliminatória da Taça UEFA, perdeu por 3-0, iniciando aí uma tradição que até hoje se mantém: nunca um adversário do país famoso pelo chocolate foi capaz de sair da casa azul e branca com uma vitória nos sete jogos oficiais disputados até ao momento.
A equipa mais representativa da cidade de Bruges regressa 44 anos depois à Invicta para o jogo da quarta jornada do Grupo G da Liga dos Campeões, marcado para as 19h45 desta quarta-feira, no Estádio do Dragão. Será dirigido pelo árbitro espanhol Undiano Mallenco​.
São sete jogos os jogos disputados pelo FC Porto contra equipas belgas na condição de visitado, são cinco as vitórias e dois os empates - um com o Standard de Liège (2-2), nos quartos de final da Taça das Taças, em 1981/82, e outro com o Anderlecht (0-0), na terceira pré-eliminatória de acesso à fase de grupos da Champions, em 2000/01.
A formação da capital da Bélgica foi a que mais vezes defrontou os Dragões (quatro), sempre no Estádio das Antas. O único clube belga a visitar o Estádio do Dragão em jogos oficiais foi o Genk, em agosto de 2010, no início da caminhada para a conquista da Liga Europa, em Dublin - perdeu por 4-2, como manda a tradição.
O FC Porto vai procurar colocar um ponto final numa sequência de quatro jogos caseiros nas provas organizadas pela UEFA, e tentar juntar três aos quatro pontos no grupo que é liderado pelo Leicester, com nove. Do outro lado, o Club Brugge, ainda sem qualquer ponto somado, vai tentar pôr fim a uma série de sete jogos sem vencer na condição de visitante nos palcos europeus. O saldo do emblema belga em Portugal é de uma vitória e três derrotas.
A equipa orientada por Michel Preud’homme, que vem de um empate (0-0) em casa do Zulte Waregem, está no quinto lugar do campeonato belga e já não perde há três jogos. A última derrota foi consentida na receção ao FC Porto (1-2), na jornada passada da Liga dos Campeões.
Na conferência de imprensa de antevisão do jogo, Nuno Espírito Santo sublinhou a importância da conquista dos três pontos neste duelo com os campeões belgas para o apuramento para os oitavos de final da Champions. E convocou os adeptos: “O Dragão também vai jogar”​, sublinhou. Ao lado do treinador esteve o central Felipe, que assumiu que o FC Porto é favorito, mas que terá que estar em alerta máximo.

26/10/16

Aconteceu a 26 Outubro 1923

Neste dia, chega ao FC Porto Akos Teszler, ele que é o primeiro treinador remunerado no nosso clube. O húngaro introduz algumas mudanças, aproveitando o conhecimento obtido na pátria, que então liderava o futebol. O futebol espetáculo chega ao FC Porto, ele que viria a conquistar um campeonato de Portugal, batendo o Sporting na final. Três anos depois da chegada e quando lhe foi negado um aumento salarial – constava que recebia mil escudos por mês, valor considerável para a época, mas cerca de metade do que pagavam Benfica e Sporting – abandonou o nosso país, fixando-se nos Estados Unidos.

03/10/16

Aconteceu a 3 Outubro 2007

Neste dia, a inspiração de Quaresma vale três pontos em Istambul, quando marca, no minuto 90, o golo que desfaz a igualdade frente ao Besiktas. A equipa portista enfrenta um autêntico inferno de fervor clubístico quando entra no relvado do Estádio Inonu, para disputar a segunda jornada da Liga dos Campeões. Foram precisos 90 minutos para libertar a labareda do dragão, mas aconteceu.

23/09/16

Aconteceu a 23 Setembro 1951

Neste dia, começava mais um campeonato nacional. Na estreia, em Marvila, o FC Porto vence o Oriental por 3-2 (dois golos de José Maria e um de Vieira), dando início a uma excelente primeira volta, em que só perdeu um jogo, no Bessa. O pior veio depois, quando o treinador Eladio Vaschetto aproveitou as férias de Natal para ir à Argentina e nunca mais voltar. O FC Porto entregou o comando da equipa ao espanhol Passarín, mas se na primeira volta somou 22 pontos, na segunda ficou-se pelos 14, acabando em terceiro lugar, a cinco pontos do campeão Sporting.

08/09/16

Aconteceu a 8 Setembro 1913

Neste dia, a Direcção do FC Porto, confrontada com o rápido crescimento do clube, assume a construção de um rinque como prioridade. Um grupo de associados assume as despesas da construção. Foi muito assim que se foi fazendo o FC Porto desses tempos, com carolice, empenho e ajuda dos sócios com mais possibilidades económicas.

Pinto da Costa: “Os inimigos dão-nos força para unirmos e lutarmos”

No dia em que inaugurou a Casa do FC Porto de Marco de Canaveses, a 145.ª delegação do clube, Jorge Nuno Pinto da Costa criticou duramente todos aqueles que querem formar a opinião de que há contestação e divisões dentro do FC Porto. O Presidente portista referia-se às notícias falsas dadas por mentirosos e aldrabões de que Reinaldo Teles e Joaquim Pinheiro tinham a intenção de se demitir dos órgãos que ocupam actualmente na SAD. Esses deviam ter vergonha e bufar ao balão antes de escrever, acrescentou.
O caminho a seguir pelo FC Porto, indicou, é em frente, sem medo, de afrontá-los e dizer-lhes que tenham vergonha e que sejam sérios, porque não são sérios aqueles que escrevem coisas que sabem que são mentira, que depois confirmam que são mentira mas as mantêm. Esses são os nossos inimigos e são eles que nos dão força para nos unirmos e lutarmos por vitórias. Mesmo depois daquilo que aconteceu em Alvalade, acredito que podemos vencer. E se isso acontecer, eu estarei cá no próprio dia para festejar convosco, prometeu.
Pinto da Costa condenou todos aqueles que querem formar a opinião de que há contestação, que há divisões e demissões no seio FC Porto, como os cronistas que, se bufassem ao balão antes de escreverem, seriam proibidos de escrever certas crónicas. Como os que criticam o nosso novo director para o futebol, porque os óculos não são bonitos; ou como um comentador televisivo que ataca e mostra o seu patriotismo desejando derrotas aos clubes portugueses nas provas internacionais, o mesmo que consegue ser advogado em Lisboa num organismo como a Santa Casa da Misericórdia, e, ao mesmo tempo, é advogado diretamente nomeado pelas câmaras de Paredes e de Portimão.
O dirigente máximo dos Dragões fez ainda o voto para que esses senhores nos tenham cada vez mais ódio e vontade de nos derrubar, porque é sinal de que lhes fazemos sombra: Queremos ser a resistência e alma do que resta do poder do Norte que o centralismo quer asfixiar. E é por isso que são esses jornais da capital, os que escrevem a vermelho e com veneno, são intrinsecamente centralistas, não podem ver o sucesso do Norte e do Porto. E quanto mais eles nos criticarem e inventarem contestações é sinal de que os incomodamos. Temos que assumir que somos a alma e temos que ser o motor desta grande região em favor do nosso país.
Acompanhado por Reinaldo Teles e Joaquim Pinheiro, Pinto da Costa discursou no fim do jantar perante mais de 400 pessoas que celebravam a inauguração da Casa do FC Porto de Marco de Canaveses, presidida por Bruno Magalhães e que abriu as portas em fevereiro deste ano a cerca de três quilómetros da Avenida FC Porto, uma das maiores daquele concelho. Antes foi recebido na autarquia pelo presidente Manuel Moreira. Na sua intervenção, o líder dos azuis e brancos começou por pedir um minuto de silêncio em homenagem a António Barbosa de Melo, antigo presidente da Assembleia da República falecido esta quarta-feira​, um grande homem e um grande Dragão.
Depois, garantiu que o FC Porto vai continuar a seguir o mesmo caminho em busca da felicidade dos adeptos: Podem rosnar os que não sabem falar, e escrever a tinta venenosa e vermelha os que nunca aprenderam a escrever a azul, porque o FC Porto não sairá nunca do seu caminho, que é ser um clube unido, a lugar pela sua grandeza e pela felicidade dos seus adeptos.

07/09/16

Aconteceu a 7 Setembro 1952

Neste dia, José Maria Pedroto vestiu pela primeira vez a camisola da primeira equipa do FC Porto. Aconteceu no Estádio Nacional, com Pedroto a entrar aos 15 minutos da festa de homenagem a Francisco Ferreira, um jogador que dividiu a carreira entre FC Porto e Benfica. Depois, bem depois Pedroto conquistou a imortalidade ao serviço do nosso clube, primeiro como jogador, depois como treinador.

Prosseguem os trabalhos

 
O plantel principal do FC Porto voltou a treinar esta terça-feira no Centro de Treinos e Formação Desportiva PortoGaia, no Olival, tendo cumprido duas sessões de trabalho. Em mais um dia de preparação para a receção ao Vitória de Guimarães (sábado, 20h30), da quarta jornada da Liga NOS, Nuno Espírito Santo ainda não contou com vários jogadores que estão envolvidos nos compromissos das respetivas seleções.
Brahimi, o único dos internacionais que já se juntou ao grupo, realizou treino de recuperação de manhã e da parte da tarde trabalhou normalmente. Do boletim clínico fazem parte dois jogadores: Maxi efetuou tratamento, enquanto Corona fez treino integrado condicionado.

05/09/16

Aconteceu a 5 Setembro 1938

Neste dia, Ângelo César Machado, notável portista, advogado, poeta e escritor, era eleito presidente da Direção do FC Porto. O seu mandato ficou marcado pela conquista do primeiro bicampeonato de futebol e do primeiro título de campeão nacional andebol de 11 da história do clube. E ainda por ter sido irradiado pela Federação com o pretexto de ter instado a equipa a abandonar o campo nas Amoreiras, num jogo com o Benfica para a Taça de Portugal, e por ter proferido declarações “impróprias” em defesa do clube. Na verdade, Ângelo César era uma voz demasiado incómoda para o poder desportivo sediado em Lisboa, porque se insurgia contra o despotismo iluminado da capital e os jogos de bastidores para prejudicar o FC Porto. Em Novembro de 1944 era justamente agraciado com o título de Presidente Honorário do clube.

01/09/16

Aconteceu a 1 Setembro 1994

Neste dia, chegam ao FC Porto Iuran e Kulkov, para reforçarem o plantel orientado por Bobby Robson. Os dois russos eram um desejo do treinador a que Jorge Nuno Pinto da Costa acedeu e são reforços de peso para recuperar o título nacional, o que viria a acontecer na primavera seguinte, dando início à série do pentacampeonato.

Boly: “Vou lutar até ao fim pelo FC Porto”

Willy Boly assinou contrato com o FC Porto válido para as próximas cinco temporadas, tendo fixada no contrato uma cláusula de 45 milhões de euros. O defesa-central francês de 24 anos, que representava o Sporting de Braga desde 2014/15, afirmou estar ​muito feliz por vestir a camisola de um grande clube, pelo qual prometer lutar até ao fim.
Estou muito feliz por assinar por este grande clube, que conheço há muito tempo. Já tive a experiência de jogar contra o FC Porto e foi sempre difícil, porque é, de facto, um grande clube. Sei que vou integrar um grupo de trabalho com jogadores de grande qualidade e espero poder trabalhar muito bem com todo o grupo, afirmou o novo dono da camisola quatro dos Dragões, que se expressou sempre em português nas declarações exclusivas concedidas ao www.fcporto.pt e ao Porto Canal.
Com 1,91 metros, Boly define-se com um jogador forte fisicamente, que gosta de trabalhar e de lutar. É isso que vou fazer aqui. Vou lutar até ao fim pelo FC Porto, acrescentou o central francês, garantindo ao mesmo tempo estar preparado para mundo novo, um novo momento na carreira.
Nascido a 3 de fevereiro de 1992 na localidade de Melun, a cerca de 50 quilómetros de Paris, Boly cumpriu toda a sua formação na prestigiada escola de formação do Auxerre, emblema que sempre representou até se transferir para Portugal, tendo sido internacional pelas selecções jovens francesas. Pela equipa principal do clube gaulês, realizou 114 jogos e assinou quatro golos. Em 2014/15 transferiu-se para o Sporting de Braga, tendo disputado 41 partidas e apontado dois golos pela formação principal.

29/08/16

Aconteceu a 29 Agosto 1949

Neste dia, o FC Porto contrata Monteiro da Costa à Oliveirense e paga com a receita de um jogo com a equipa de Oliveira de Azeméis. Com 21 anos acabadinhos de fazer, Monteiro da Costa inicia um longo percurso com a camisola azul e branca que duraria 13 épocas, tornando-se um dos mais carismáticos capitães da nossa história. O torpedo, como ficou conhecido, destacou-se como avançado, mas também jogou a médio ofensivo e até a central, num exemplo de disponibilidade para servir o clube.

Nuno Espírito Santo: "Reagimos bem ao jogo mas faltou-nos fazer mais golos"



Uma boa entrada em campo, repleta de carácter e personalidade, foi o ponto mais elogiado por Nuno Espírito Santo relativamente à sua equipa no clássico da terceira jornada da Liga NOS, que terminou com uma derrota azul e branca por 2-1​ no terreno do Sporting. O treinador dos Dragões lamentou depois o pouco tempo que o FC Porto conseguiu estar em vantagem no marcador e criticou a arbitragem, que na opinião do técnico prejudicou claramente a sua equipa.

Análise ao jogo
Entrámos muito bem no jogo. Pena que o empate chegou tão cedo, pois podíamos e devíamos ter conseguido manter a vantagem por mais tempo. O resultado é o que é. Não ficamos eufóricos com as vitórias nem muito tempo nos lamentos com as derrotas. Há muito caminho pela frente, isto ainda agora começou e queremos chegar ao final em primeiro. Numa análise muito fria acho que estamos em crescimento. Todos os dias são importantes para nós e as derrotas também têm que nos servir para consolidar ideias.

O melhor e o pior do jogo do FC Porto
Gostei da nossa entrada, da ideia que introduzimos no jogo e no carácter dos jogadores. Não gostei tanto de não conseguir manter a vantagem por mais tempo. Podíamos ter tido mais critério no último passe, mas as derrotas também servem para vermos qual é o caminho.

Análise à arbitragem
Eu gostava de não ter de comentar a arbitragem, mas hoje foi evidente. São ações irregulares claras e o árbitro tinha obrigação de as ter visto. Acabou por ter influência no resultado, parece-me óbvio. Preferia estar aqui a analisar a minha equipa, o que fizemos no jogo, pois é isso que me compete fazer, mas volto a repetir: hoje o árbitro teve influência direta em nosso prejuízo.

O que faltou ao FC Porto
A minha equipa reagiu sempre ao jogo. Esteve sempre dentro do jogo, com boa dinâmica. Ajustámos quando tivemos de ajustar, tivemos posse de bola e pressionámos alto. Conseguimos tudo menos fazer mais golos.

O peso da derrota
A derrota não nos abala porque temos consciência do que fizemos. Os jogadores trabalharam e sabe-no. Conseguimos um primeiro objetivo que era estar na fase de grupos da Liga dos Campeões. Outro objetivo é sermos campeões nacionais, e estamos na luta até ao fim.

O nível físico dos jogadores
Não creio que sirva de desculpa termos mais jogos. O calendário é exigente, mas os jogadores estiveram bem, competiram.

Saída do Corona
Ele apresentou uma queixa. Apesar de estar a fazer um bom jogo, não só pela queixa, foi uma opção nossa optar pela sua saída. Temos muitas opções.

Clássico ingrato


O FC Porto perdeu este domingo diante do Sporting (2-1), no Estádio de Alvalade, em jogo a contar para a terceira jornada da Liga NOS. Os Dragões até estiveram em vantagem, com um golo de Felipe (8m), mas os lisboetas deram a volta ao marcador ainda no decorrer da primeira parte, através de Slimani (14m) e Gelson (26m).
À imagem e semelhança de Roma, o FC Porto entrou de forma personalizada e autoritária, assumindo o domínio das operações nos momentos iniciais do clássico de Alvalade. Quase que em jeito de déjà-vu, os Dragões adiantaram-se no marcador por intermédio de Felipe, aos oito minutos, tal como no jogo de quarta-feira, na capital italiana. No seguimento de um livre cobrado por Layún, o central brasileiro apareceu oportunamente ao segundo poste e desviou para o fundo das redes, dando vantagem aos azuis e brancos. Antes disso, já Rúben Semedo tinha tirado “o pão da boca” a André Silva num rápido contra-ataque portista (2m).
Quase a chegar ao primeiro quarto de hora, o Sporting estabelece a igualdade num lance muito confuso, iniciado por um livre de Bruno César que vai ao poste e cuja recarga sobra para Gelson. O extremo do Sporting remata para defesa de Casillas, a bola fica caprichosamente em cima da linha e é Slimani a desferir o remate final, deixando tudo igual (14m). Pouco depois, André Silva é lançado por Otávio e obriga Rui Patrício a aplicar-se (18m). Ainda antes da meia hora, na sequência de uma bola caída do céu e que até embate no braço de Bryan Ruiz, Gelson coloca o Sporting na frente com um remate forte e colocado à entrada da área (26m). André André ainda ficou a milímetros de um golaço (30m) e Adrien proporcionou uma boa intervenção a Casillas (31m), mas o intervalo chegou mesmo com o Sporting a vencer pela margem mínima.
Na etapa complementar, já com Óliver Torres no lugar de Corona, o FC Porto demorou algum tempo a assentar as ideias e isso aumentou o conforto dos lisboetas nos minutos que se seguiram ao reatamento, e que acabou por se manter ao longo de quase toda a segunda parte. No segundo tempo, oportunidades de golo flagrantes foram uma absoluta raridade, e até a que pareceu mais prometedora acabou por não o ser. Aos 83 minutos, num contra-ataque pensado e executado por Otávio, Layún ficou em posição privilegiada mas a receção da bola não foi a melhor, perdendo assim a oportunidade de servir André Silva ou Depoitre à boca da baliza. Já dentro do último dos três minutos de compensação, Adrián López teve hipótese de visar a baliza de Rui Patrício, mas deixou-se desarmar por João Pereira.

26/08/16

Aconteceu a 26 Agosto 1986

Neste dia, Paulo Futre estreia-se em jogos oficiais com a camisola do FC Porto, num jogo com o Rio Ave, para a primeira jornada do campeonato nacional. O FC Porto venceu por 3-0, com golos de Frasco, Vermelhinho e Gomes e Futre começava a ganhar espaço na equipa. O impacto do esquerdino foi enorme, enriquecendo um dos plantéis mais ricos da história do FC Porto e que no ano seguinte celebraria em Viena a Taça dos Campeões.

Leicester, Club Brugge e Copenhaga são adversários na Champions

​​O sorteio da fase de grupos da edição 2016/17 ​da Liga dos Campeões, realizado esta quinta-feira, no Forum Grimaldi, no Mónaco, colocou no caminho do FC Porto os ingleses do Leicester, os belgas do Club Brugge e os dinamarqueses do Copenhaga. As quatro equipas integram o grupo G da mais prestigiada competição de clubes do mundo, na qual os Dragões são recordistas de presenças (21), ao lado de Barcelona e Real Madrid.
Fundado em 1884, o Leicester sagrou-se pela primeira vez campeão inglês em 2015/16, à custa de uma sensacional campanha de 38 jogos, 23 vitórias, 12 empates e apenas três derrotas. Foi o primeiro grande troféu de um palmarés de um clube que faz a estreia absoluta na Champions, tendo já disputado oito jogos nas competições europeias (quatro na então Taça dos Vencedores das Taças e outros tantos na Taça UEFA). O experiente treinador italiano Claudio Ranieri conta com um plantel composto por jogadores de 15 nacionalidades diferentes, entre os quais se destacam o argelino Riyad Mahrez ou o nigeriano Ahmed Musa.
O Club Brugge foi fundado em 1891 e venceu a Liga belga pela 14.ª vez em 2015/16, contando ainda no currículo com 11 Taças e 11 Supertaças, a última das quais conquistada em julho passado frente ao Standard Liège. Tal como os dinamarqueses, regista duas presenças na fase de grupos, que disputou pela última vez em 2005/06. O antigo guarda-redes do Benfica, Michel Preud’homme, é o treinador de uma equipa que já disputou quatro jogos do campeonato (duas vitórias e duas derrotas) e que ocupa atualmente o 47.º lugar no ranking da UEFA.
O Copenhaga é o clube mais jovem do grupo, tendo sido fundado em 1992 e é o atual campeão dinamarquês e detentor da Taça. No palmarés conta com 11 campeonatos, sete Taças e uma Supertaça, e disputou por três vezes a fase de grupos da Liga dos Campeões, a última das quais em 2010/11, época em que atingiu pela única vez na história os oitavos de final da prova. É treinado pelo norueguês Stale Solbakken que orienta um plantel que conta nas suas fileiras com 19 atletas nascidos na Dinamarca

Calendário
1.ª jornada (14 de setembro): FC Porto-Copenhaga
2.ª jornada (27 de setembro): Leicester-FC Porto
3.ª jornada (18 de outubro): Club Brugge-FC Porto
4.ª jornada (2 de novembro): FC Porto-Club Brugge
5.ª jornada (22 de novembro): Copenhaga-FC Porto
6.ª jornada (7 de dezembro): FC Porto-Leicester

Óliver Torres: "O meu objectivo foi sempre voltar"


Pouco mais de um ano depois, a camisola número 30 do FC Porto volta a ter o mesmo dono. Óliver Torres está de regresso ao FC Porto, a uma casa que considera como sua, onde viveu um dos melhores momentos da carreira e à qual quis sempre voltar, apesar de ter recebido propostas de outros clubes.
Em declarações exclusivas ao Porto Canal e ao www.fcporto.pt, o médio espanhol, que foi recebido pelo presidente Jorge Nuno Pinto da Costa​, agradeceu a confiança revelada pelo treinador Nuno Espírito Santo, a insistência da administração do clube na sua contratação e o carinho e apoio que os adeptos sempre lhe dedicaram e que espera retribuir com vitórias e alegrias.
Precisei de apenas um ano para me aperceber da grandeza do clube, fiquei apaixonado pela cidade, pelo clube e pelos adeptos. O meu objectivo foi sempre vir para cá, porque foi aqui que passei um dos melhores momentos da minha etapa desportiva, foi aqui que conheci uma parte de mim que ainda não tinha conhecido. Estou, por isso, muito contente e muito feliz por voltar a uma casa que considero como minha, disse o jogador novamente cedido pelo Atlético Madrid.
Eram vários os clubes interessados em contratar o centrocampista da Extremadura, mas, desde que tomou conhecimento da possibilidade de sair dos colchoneros, a sua vontade passou a ser uma só: Recebi ofertas de outros clubes, aos quais estou muito agradecido, mas desde o início que a minha vontade era regressar ao FC Porto e, se isso não se concretizasse, preferia continuar onde estava. Felizmente isso aconteceu e estou muito agradecido ao treinador pela confiança que depositou em mim e sobretudo pela insistência na minha contratação, tanto da parte o presidente Pinto da Costa como da parte do Antero Henrique.
Foi fácil chegar a um acordo, mas os últimos tempos foram difíceis e de alguma ansiedade: Dizia-se que eu não chegava a um acordo com o clube, que o Óliver colocava dificuldades e não é verdade, porque esperei quatro meses por uma chamada a dizer para voltar ao FC Porto, porque esse era o meu desejo. Quando me disseram que o acordo estava feito, foi um dos dias mais felizes da minha vida, voltei a sentir coisas que não sentia há muito e, como se pode ver, estou super feliz.
O coração de Óliver esteve sempre cá, até porque a família portista nunca o esqueceu. Saí do FC Porto com muita pena, mas nunca perdi a ligação com o clube. Continuei a receber mensagens da família portista, o que para mim era algo incrível. Nos momentos duros durante a última temporada, recebia mensagens de ânimo e de alento dos portistas. Por isso, não tinha dúvidas de que queria voltar, porque me sinto um jogador à FC Porto e que vai dar tudo pelo FC Porto. O centrocampista não esconde a vontade de começar a treinar, de se juntar aos novos companheiros.
Óliver esteve fora um ano, mas não deixou de acompanhar a actualidade dos Dragões, pelo que conhece bem o grupo que vai encontrar: É um grupo magnífico, competitivo, hermético, em que todos se ajudam. Fizeram uma grande exibição contra a Roma, mas agora temos que pensar em continuar a trabalhar, por que há muito por fazer e a época é muito longa. Temos que continuar assim, porque este é o caminho para sermos campeões, apontou o médio que vai envergar a camisola 30, que pediu para reservar por ser um número pelo qual nutre especial carinho.

Óliver Torres regressa ao dragão


O médio Óliver Torres está de volta ao FC Porto. Aos 21 anos, o criativo espanhol regressa a uma casa onde já foi feliz, depois de cumprir uma época por empréstimo (2014/15) ao serviço dos Dragões.
Dono de uma técnica e visão de jogo acima da média, Óliver, então com 19 anos, assumiu-se como uma das principais figuras da equipa azul e branca e também um dos favoritos dos adeptos portistas.
O espanhol terminou a temporada com 40 jogos disputados e sete golos marcados. Depois do inevitável regresso ao Atlético de Madrid, Óliver volta em 2016 à cidade Invicta, de novo por empréstimo, desta vez com a duração de uma época e meia, com os Dragões a ficarem com a opção de compra.
A qualidade do espanhol representa um importante reforço para o sector intermédio da equipa de Nuno Espírito Santo, ao mesmo tempo que o Dragão vê regressar um dos jogadores mais acarinhados das últimas temporadas.

22/08/16

Aconteceu a 22 Agosto 2001

Quarta-feira, no Estádio Hardturm, em Zurique, na Suíça: o FC Porto defronta o Grasshopper com o objetivo de retificar o empate a dois golos que se verificara nas Antas, na primeira mão da terceira pré-eliminatória da Liga dos Campeões. Missão cumprida: vitória por 3-2. Clayton marcou o primeiro golo, Capucho fez o segundo ainda na primeira parte. Deco apontou, já perto do fim, o terceiro, que carimbava mais uma presença na fase de grupos da competição e que os dois golos tardios dos helvéticos não foram capazes de ameaçar.