01/05/17

Preparando o jogo com o Marítimo





Poucas horas após o triunfo em Chaves (2-0), o plantel principal do FC Porto voltou a subir ao relvado do Centro de Treinos e Formação Desportiva PortoGaia, no Olival, para realizar o primeiro treino de preparação para a deslocação do próximo sábado (20h30) à ilha da Madeira, para defrontar o Marítimo, na 32.ª jornada da Liga NOS.
Na sessão da manhã deste domingo nota para Danilo, que segue o processo de recuperação à lesão sofrida no joelho diante do Feirense. O médio é o único nome no boletim clínico dos Dragões e realizou tratamento e trabalho de ginásio. Presente nos trabalhos esteve o guarda-redes Roberto Silva, do plantel dos Sub-17.
Na segunda-feira o plantel goza um dia de folga, antes de voltar a centrar atenções no jogo frente aos verde-rubros. A próxima sessão está agendada para terça-feira, de novo no Olival e de novo à porta fechada.

15/03/17

Aconteceu a 15 Março 2000

Neste dia, Jorge Costa e Capucho já tinham marcado e o apuramento para os quartos de final da Liga dos Campeões parecia ser só um pró-forma, uma questão de tempo (de 20 minutos, sensivelmente). Só que o Sparta de Praga despertou, reagiu, reduziu por Lokvenc e empatou, sobre o minuto 90, por Fukal. Rui Barros, que actualmente é o adjunto de Nuno Espírito Santo, tinha entrado aos 82 minutos do jogo das Antas. O FC Porto de Fernando Santos confirmou a qualificação na semana seguinte, na última jornada da segunda fase de grupos, vencendo o Hertha em Berlim com o golo da vida de Clayton, contado na primeira pessoa na edição de fevereiro de 2016 da Dragões.

06/03/17

Aconteceu a 6 Março 1994

Neste dia, o FC Porto jogava em Paços de Ferreira para a 22ª jornada do Campeonato Nacional. A equipa de Bobby Robson venceu por 2-0, com golos de Timofte (aos dez minutos) e de Kostadinov (55), que repunham a equipa no trilho certo, após uma dura derrota na Bélgica frente ao Anderlecht (1-0), com um golo mesmo ao cair do pano de Luc Nilis. No vídeo pode ver os golos de dois grandes jogadores estrangeiros que representaram o nosso clube.

27/02/17

Aconteceu a 27 Fevereiro 1994

Neste dia, o FC Porto recebe o Braga e aplica uma manita, com um hat-trick de Kostadinov. Bobby Robson tinha assumido a equipa em Janeiro e o efeito do futebol ofensivo do treinador britânico começava a notar-se.

25/01/17

Soares, o novo número 29 do FC Porto

Velocidade, força e técnica: são estes os principais atributos de Francisco das Chagas Soares dos Santos, conhecido simplesmente por Soares. Brasileiro, nascido em Sousa, no estado da Paraíba, o ponta de lança, que também sabe jogar nas alas, aumenta consideravelmente o poder de fogo do ataque portista, chegando ao Dragão depois de seis vistosos meses no Minho, ao serviço do Vitória de Guimarães.
“Tiquinho” Soares, como também é conhecido, é mais um jogador brasileiro que encontrou em Portugal a porta perfeita para dar os primeiros passos no sempre apetecível futebol europeu, mas os desempenhos do possante avançado (1,84m e 90kg) fazem dele mais do que um simples jogador. À velocidade e à força, Soares alia uma técnica bem apurada, que encontra no pé direito o melhor intérprete. A raça e uma tremenda capacidade de luta são outras características que lhe são reconhecidas, essenciais para um jogador que se quer “à Porto”.
No Brasil, Soares passou por clubes como o Botafogo (Paraíba), Sousa e CSP (Centro Sportivo Paraibano), tendo chegado a Portugal para jogar no Nacional, na segunda metade da época de 2014/15. A primeira experiência no futebol português rendeu dois golos em 14 jogos, registo que foi francamente melhorado no segundo ano no clube madeirense: 14 golos em 35 jogos. Transferido para Guimarães na antecâmara da época em curso, foi ao serviço da equipa minhota que os números e sobretudo as exibições ganharam maior relevo, tendo terminado a primeira metade da temporada com nove golos em 22 partidas.

16/01/17

Declarações dos jogadores

Oliver Torres
Sabíamos que era um jogo importante porque os nossos rivais tinham perdido pontos. Era importante entrar bem no jogo e felizmente conseguimos fazer um golo que nos deu a tranquilidade. Depois eles tiveram a expulsão e o jogo tornou-se mais fácil e a equipa fez uma grande exibição.
A nossa motivação era máxima, independentemente do resultado do Benfica. Vínhamos jogar para ganhar, como sempre. Temos que nos focar em nós, fazer o máximo e continuar a trabalhar para estar onde queremos estar no final.
Cada jogo é um jogo. Aqui, com os nossos adeptos é diferente. A equipa entrou bem, estamos contentes, mas temos já que preparar o jogo de sábado.
 
André Silva
Fomos claramente superiores e conseguimos a vitória graças ao trabalho que fizemos.
Quando as bolas não entram o problema é sempre de eficácia, porque criámos oportunidades. Temos de continuar a trabalhar, porque as bolas vão começar a entrar.
Temos de manter as nossas ideias e nunca facilitar, que é o que às vezes fazemos. A bola vai acabar por entrar de alguma maneira.
Vamos trabalhar para aumentar a confiança e esperamos fazer uma boa segunda volta.

Marcano
Estamos a atravessar um bom momento e por isso temos que aproveitar, porque isto nem sempre acontece. Começámos muito bem. Eles não nos criaram ocasiões de golo claras e a partir do 1-0 começámos a estar mais soltos, a combinar mais, e a criar mais ocasiões. Na segunda parte, com um jogador a mais, acabou por ser mais fácil.
É uma parte importante do jogo, mas isso não se deve só ao trabalho dos defesas. Toda a equipa trabalha para que não nos criem muitas ocasiões e creio que o está a fazer muito bem.
Estamos todos a falhar e por isso penso que o que menos falhar na segunda volta que vai começar é a equipa que vai conseguir o prémio final.


Maxi Pereira
É uma vitória que dá confiança, pois sabíamos que não seria um jogo fácil. Creio que a equipa entrou mentalizada de que era muito importante conseguir a vitória e estou feliz pois fizemos um grande esforço para vencer. A bola entrou e isso foi o mais importante.
Contra estas equipas é muito importante marcar o mais depressa possível e a expulsão acabou por tornar as coisas mais fáceis para nós, pois permitiu-nos circular mais a bola e esperar o momento certo para fazer outro golo. Estou contente pois era importante ganhar e aproximarmo-nos do primeiro lugar.
Procuro sempre dar o meu máximo e estou mais contente pela vitória da equipa do que por este prémio, mas é sempre bom quando valorizam o nosso trabalho. Temos de continuar neste caminho para chegarmos ao fim e conseguirmos o nosso objetivo, que é o campeonato.
É claro que acreditamos no título, pois ainda há toda uma segunda volta para jogar. Ainda há muito jogo pela frente e temos de pensar nos pontos que perdemos, nos erros que cometemos e não os voltarmos a cometer na segunda volta. Não temos margem de erro e temos de continuar com uma mentalidade de campeão.

Nuno: “É importante aproximarmo-nos do topo”

Com a vitória frente ao Moreirense (3-0), este domingo, o FC Porto reduziu para quatro pontos a desvantagem face ao líder Benfica na Liga NOS. Nas declarações logo após o final do desafio, Nuno Espírito Santo reconheceu a importância de estar muito próximo do topo e de meter pressão nos rivais. Para além disso, numa análise sucinta, considerou a vitória justa e alicerçada num bom jogo. Já na sala de imprensa, sublinhou que a diferença face a encontros anteriores esteve na eficácia.

Primeira análise
Foi uma vitória justa, que se traduziu em golos e num bom jogo. É importante para nós vencer em frente aos nossos adeptos, no Dragão, que mais uma vez esteve presente e a apoiar-nos. Vamos continuar o nosso caminho.
Melhorar fora de casa
Desde o princípio que queremos fazer do Dragão a nossa fortaleza, temos apenas um empate aqui, e sabemos em que circunstâncias. Temos novos desafios pela frente, nomeadamente melhorar fora de casa.

Aproximação ao primeiro lugar
É importante aproximarmo-nos do topo da tabela, meter pressão. O nosso trabalho é continuar a vencer os nossos jogos e estar muito próximo do primeiro é sempre muito importante.

Análise à primeira volta
Fazemos é uma projeção da segunda volta, atempadamente vamos fazer melhor.

Eficácia
O que foi diferente face ao jogo anterior foi o acerto, a capacidade de ser eficaz, fazer os golos e chegar a uma vitória justa. Tivemos o jogo permanentemente controlado, não consentimos oportunidades ao Moreirense. Tivemos bastante produção ofensiva, que poderia até ter sido mais materializada. Parabéns aos jogadores, é sempre importante vencer no Dragão, a nossa fortaleza, e obter um resultado que nos aproxima do lugar em que queremos estar, que é o topo.

Confiança
Assim é mais fácil a perspetiva de construir uma equipa que queremos campeã, as vitórias ajudam, os jogadores ficam mais seguros de si. Hoje foi tudo muito mais natural, creio que a equipa fez um bom jogo e uma boa vitória.

O regresso de Kelvin
É mais um jogador que se integrou na dinâmica da equipa. Estava parado há algum tempo, temos de ter algum cuidado na sua integração para que possa ser útil.

Regresso às vitórias

​O FC Porto recebeu e venceu o Moreirense (3-0), no Estádio do Dragão, em jogo da 17.ª e última jornada da primeira volta da Liga NOS. Óliver Torres (30m), André Silva (42m) e Marcano (62m) apontaram os golos do triunfo dos Dragões, que assim passam a somar 38 pontos e reduzem para quatro a distância que os separa do primeiro lugar do campeonato. Segue-se novo jogo em casa na 18.ª ronda da prova, desta feita diante do Rio Ave, marcado para sábado, dia 21 de janeiro, às 16h00.
Ciente da importância de um regresso imediato às vitórias, o FC Porto entrou de forma autoritária e criou a primeira oportunidade logo aos dois minutos, mas Corona, bem servido por Herrera, cabeceou ao lado. Logo a seguir, Francisco Geraldes testou os reflexos de Casillas (4m) e Diogo Jota fez o mesmo com Makaridze (19m), que voltaria a evidenciar-se numa tentativa de canto direto por parte de Alex Telles (19m). O FC Porto ia ameaçando o golo e conseguiu-o quando o relógio assinalava meia-hora de jogo. Marcano não deu como perdida uma bola defendida por Makaridze após um livre de Alex Telles e cruzou atrasado para Óliver Torres, que rematou rasteiro e sem hipóteses para o guardião do Moreirense, abrindo o ativo com classe.
Desbloqueado o marcador, os azuis e brancos partiram ainda com mais força em busca do segundo golo e este chegaria ainda antes do intervalo. Depois de Diogo Jota deixar vários adversários para trás e de Corona proporcionar nova boa intervenção a Makaridze, André Silva estava no sítio certo para a recarga e cabeceou para o fundo das redes, apontando o 11.º golo da conta pessoal no campeonato (42m). Ainda antes do descanso, Francisco Geraldes viu o segundo cartão amarelo e o consequente vermelho, deixando o Moreirense em inferioridade numérica com toda uma segunda parte por jogar. A vencer por 2-0 e com mais um homem em campo, o FC Porto tinha via aberta para o tão desejado regresso às vitórias.
Os derradeiros 45 minutos tiveram a baliza do Moreirense como sentido único e foram de domínio absoluto do FC Porto, que ficou a dever a si próprio um resultado ainda mais volumoso. André Silva teve o 3-0 nos pés em dois lances quase consecutivos (57m e 58m), mas seria a cabeça de Marcano a fazê-lo na sequência de um canto cobrado por Herrera (62m). Um golo e uma assistência para o central espanhol dos Dragões, que não cessaram esforços na busca de uma vitória mais ampla, mas que acabaria por se saldar num 3-0 que promoveu ainda o regresso de Kelvin aos relvados com a camisola do FC Porto. Missão cumprida e três pontos amealhados, que deixam a liderança mais perto à entrada para a segunda volta.

13/01/17

Aconteceu a 13 Janeiro 1996

Neste dia, o FC Porto de Bobby Robson visitava Alvalade e praticamente sentenciava o título, com uma vitória por 2-0, com bis de Domingos, no verdadeiro batatal em que se tinha transformado o relvado de Alvalade. Veja os golos do clássico.


FC Porto B recebe o Aves

O FC Porto B recebe amanhã (dia 14) o Aves, em jogo da 22.ª jornada do campeonato da Segunda Liga. António Folha, que se estreou a semana passada com uma vitória, elogiou o adversário, mas quer uma equipa positiva, em busca dos três pontos: Sabemos que temos que estar num bom momento e que temos de assumir o jogo para poder ganhá-lo. O jogo é às 15h00 e terá transmissão em direto no Porto Canal.

O campeonato extraordinário do Aves
O registo do Aves diz tudo. Esperamos uma equipa muito competente e que certamente nos vai criar muitas dificuldades. Para além disso o mais importante é aquilo que nós vamos fazer dentro do campo e isso vai ser sempre o mais importante. Sabemos que temos que estar num bom momento e que temos de assumir o jogo para poder ganhá-lo. Mas o Aves é uma equipa que vem fazendo um campeonato extraordinário e não tenho dúvida que vem a Pedroso para ganhar o jogo.

O tempo de trabalho ainda é curto
Não há varinhas mágicas. O tempo faz com que o trabalho e as ideias se acentuem para uma determinada forma de jogar. Uma semana de trabalho é curta, mas penso que já há algumas ideias que apareceram no jogo e que vamos tentar que apareçam muito mais.

Vestir de azul e branco é a verdadeira motivação
A motivação dos jogadores é de jogar no FC Porto. Depois olhar para cima ou para baixo na tabela acho que não é importante. Eles estão numa fase de crescimento e queremos que eles cresçam o mais possível para atingir os patamares da primeira equipa e isso eu espero quero façam em todos os jogos.

Plantel continua a preparar a recepção ao Moreirense

O FC Porto prosseguiu esta sexta-feira, no Centro de Treinos e Formação Desportiva PortoGaia, a preparação do jogo com o Moreirense, da 17.ª jornada da Liga NOS. Antes de antecipar em conferência de imprensa​ a partida de domingo (18h00, Sport TV) Nuno Espírito Santo orientou uma sessão na qual estiveram presentes quatro jogadores dos “bês” - Rui Pedro, Rui Pires, Rodrigo e Rui Moreira -, sendo que Chidozie e João Costa fizeram o caminho inverso e treinaram às ordens de António Folha.
Rúben Neves, Miguel Layún e Otávio continuam a realizar tratamento às lesões. O defesa e o médio realizaram ainda trabalho de ginásio, sendo que o brasileiro treinou de forma condicionada.
Os Dragões voltam a treinar este sábado pela última vez antes do jogo que fecha a primeira volta da Liga. A sessão está agendada para as 10h30, no Olival, à porta fechada.​​​

Nuno: "Não podemos voltar a falhar"

O FC Porto regressa este domingo ao Estádio do Dragão para defrontar o Moreirense e fechar as contas da primeira volta da Liga NOS com o regresso às vitórias no horizonte. Com o empate em Paços de Ferreira (0-0) que aumentou para quatro pontos a distância para o primeiro lugar, Nuno Espírito Santo admitiu na conferência de imprensa de antevisão do jogo da 17.ª jornada que não há margem de erro e garantiu que a equipa chegará motivada e concentrada para somar os três pontos e continuar a perseguir a liderança da tabela classificativa. O treinador desvalorizou as ausências de alguns jogadores, até porque tem total confiança no plantel que lidera e ainda aproveitou para deixar uma palavra de apreço a Jorge Nuno Pinto da Costa no dia em que passa a ser oficialmente o presidente com maior longevidade na história do futebol mundial. ​​

Três pontos para a luta
Voltamos a jogar no Dragão, com o objetivo de continuarmos a ser fortes em casa, de fazer do Dragão a nossa fortaleza. Seguramente que o Moreirense não vai facilitar, pelo contrário, tentará dificultar o nosso trabalho, mas o nosso objectivo é claro: na competição em que estamos não podemos voltar a falhar. Temos, portanto, que somar três pontos para continuar a nossa luta.

Concentrados e motivados
Foi uma boa semana de trabalho que tem que ser agora posta no domingo. Chegaremos ao jogo muito concentrados, muito motivados. Sabemos das responsabilidades que temos e a equipa está motivada para conseguir uma vitória perante os seus adeptos.

Jogadores diferentes, a mesma ideia
A ideia será sempre a mesma, ainda que com jogadores diferentes. Nunca assentamos o nosso jogo em um ou dois jogadores, mas no colectivo. Temos um plantel que nos dá todas as possibilidades e confiança para chegarmos ao jogo e competir. Temos confiança máxima em quem está. Haverá nuances que, essencialmente pelas características dos jogadores, serão diferentes. Todos os jogadores dão contributos distintos à equipa, temos é que potenciar isso para que o FC Porto vença.

A força do Dragão
Estes dois jogos consecutivos [Moreirense e Rio Ave] são importantes para a equipa. Digo desde o princípio que o Dragão é a nossa fortaleza, tem-nos apoiado imenso e nós temos que ser merecedores desse apoio. A equipa no Dragão tem sido forte, consistente e queremos agora neste jogo demonstrar que unidos somos mais fortes e que o Dragão será um campo muito difícil para os nossos adversários.

A instabilidade dos resultados
Continua um processo de construção de uma equipa que é jovem e que, por vezes, cai em situações que não podemos evitar, seja o desespero, seja a frustração. Estamos muito convictos na linha de trabalho que estamos a seguir: a equipa produz, é sólida defensivamente, não permite oportunidades ao adversário e esse é o nosso foco. Temos que pensar em como chegar ao golo através dos muitos dos nossos movimentos de produção ofensiva. Temos a consciência de que os empates que somámos nos penalizam muito, agora temos é que manter e potenciar o que fazemos bem: a nossa solidez defensiva, a nossa construção, a nossa produção, a nossa reacção à perda, a maneira como controlamos os adversários para conseguir conquistar vitórias de uma forma consecutiva, que nos permita somar pontos que nos aproximem do topo da tabela.

O plantel e o mercado
Temos um plantel em que confiamos. Tomámos decisões em tempo oportuno, já falámos sobre elas, temos ausências de jogadores que não serão prolongadas e contamos com os jogadores que temos para continuar na luta pelo campeonato e competir nos oitavos de final da Champions League.

Presidente: recordes e orgulho
O nosso presidente hoje ultrapassa todos os recordes, são 58 títulos no futebol. Para nós é um orgulho estar com ele, ter a sua presença e oxalá que seja por muito tempo.

À espera de melhorias na arbitragem
Espero que alguma coisa mude no futebol, depois da reunião que houve entre os clubes e o Conselho de Arbitragem [CA]. Disse que era bom que o CA assumisse os seus erros; agora espero que tudo melhore, que haja um melhor desempenho e que a arbitragem não seja um factor decisivo nos jogos. É também o momento de deixar de falar tantos dos árbitros e espero que o próximo jogo seja já o reflexo dessa melhoria, que haja um bom trabalho e que a equipa de arbitragem esteja ao nível das outras equipas.

12.684 dias de Pinto da Costa


Jorge Nuno Pinto da Costa está há 12.684 dias na presidência do FC Porto, revela a edição desta sexta-feira do jornal O Jogo, registo que o torna o presidente com a maior longevidade de sempre no futebol mundial – já era o presidente com mais títulos da história do futebol –, superando oficialmente o espanhol Santiago Bernabéu, que de acordo com os números ocupou esse cargo no Real Madrid durante 12.683 dias.
Pinto da Costa tomou posse como presidente a 23 de abril de 1982, que é o mesmo que dizer que já está no cargo há 34 anos, oito meses e 19 dias, tendo sido reconduzido 12 vezes ao longo deste tempo. Mas o percurso de Pinto da Costa no FC Porto vai muito para além destes quase 35 anos como presidente do clube, pois acumulou quase 20 como seccionista, diretor e chefe do departamento de futebol. Se já era o presidente mais titulado à escala mundial, a partir de agora é também o que ocupa esse cargo há mais tempo.
Ora, no que diz respeito a troféus, os 58 que já ergueu no futebol profissional são um registo ímpar. Duas Taças Intercontinentais, duas Ligas dos Campeões, duas Taça UEFA/Liga Europa, uma Supertaça Europeia, 20 Campeonatos Nacionais, 12 Taças de Portugal e 19 Supertaças, eis o pecúlio de Jorge Nuno Pinto da Costa como presidente do FC Porto.

02/01/17

Aconteceu a 2 Janeiro 1993

Neste dia, o FC Porto jogava no Funchal com o Marítimo, para a 17.ª jornada do Campeonato Nacional. O jovem Toni, que entrara em campo para o lugar de Timofte, aos 74 minutos, marcou o único golo do encontro, já nos descontos, correspondendo a um cruzamento de Domingos, num momento em que os Dragões estavam reduzidos a dez homens, por expulsão de Rui Filipe. Seria a única derrota caseira dos madeirenses em todo o campeonato, que terminaria com os portistas como campeões.


22/12/16

Aconteceu a 22 Dezembro 1997

Neste dia, FC Porto e Boavista transformaram o dérbi num episódio épico capaz de gerar sete golos. Jogava-se a 14.ª jornada da Liga e o encontro atingia o intervalo com um empate a dois, depois de Ion Timofte (bicampeão pelos Dragões mas vestindo então a camisola ao xadrez) responder por duas vezes à vantagem portista materializada por Jardel. Oito minutos após o recomeço, Gaspar colocou o FC Porto de novo em vantagem, que Martelinho desfez seis minutos mais tarde. Mas entre saltar do banco e marcar, bastaram dois minutos para o polaco Mielcarsky resolver a questão. Marcou a nove minutos do fim e o FC Porto ganhou.

08/12/16

Aconteceu a 8 Dezembro 1999

Neste dia, o FC Porto recebia o Hertha de Berlim para a segunda jornada da segunda fase de grupos da extensa Liga dos Campeões, que no formato de então obrigava a realizar 12 jogos para chegar aos quartos de final. O FC Porto venceu por 1-0, com um grande golo de Drulovic, num jogo que ficou também marcado pelo golo mal anulado a Mário Jardel, que estava em jogo dois ou três metros. 
Recorde os melhores lances do jogo:

28/11/16

Aconteceu a 28 Novembro 2000

Neste dia, a gala dos Dragões de Ouro consagrava dois atletas que se tinham integrado de forma excecional no clube: Deco e Chainho. O primeiro foi o melhor futebolista e o segundo, que saíria do FC Porto em 2001, o atleta do ano. Claro que a carreira de Deco foi superior e disparou nos anos seguintes, a ponto de ser considerado um dos melhores futebolistas do Mundo. Depois de ser campeão europeu pelos Dragões, em 2004, repetiu o feito no FC Barcelona, dois anos mais tarde, e representou ainda Chelsea e Fluminense, sagrando-se sempre campeão nacional.

17/11/16

Aconteceu a 17 Novembro 1912

Neste dia, António Santiago vence a prova principal de um dia de ciclismo no velódromo do Porto. A modalidade teve sempre muita popularidade no Porto – a primeira corrida de bicicletas em Portugal disputou-se em 1880 entre Matosinhos e a Foz – e o FC Porto depressa se tornou uma potência. Curiosamente, o velódromo do Porto ainda existe, nas traseiras do Museu Soares dos Reis e a Câmara do Porto tem planos para o recuperar, naturalmente não para provas de ciclismo, mas porque é uma construção com elevado valor da memória do Porto do final do século XIX, início do século XX.

08/11/16

Aconteceu a 8 Novembro 1983

Neste dia, Fernando Gomes recebe em Paris a primeira das duas botas de ouro que conquistou na carreira. Este primeiro troféu reportava-se à época 1982/83, quando o goleador fez 36 golos num campeonato de 30 jornadas. Gomes viria dois anos depois a ficar com o par de botas de ouro, quando repetiu a proza, marcando 39 golos numa edição do campeonato de 1984/85.

02/11/16

Aconteceu a 2 Novembro 1983

Neste dia também era quarta-feira e também era dia de jogo europeu à noite. O FC Porto defrontava o Glasgow Rangers à procura de anular a desvantagem trazida da Escócia (2-1), na primeira mão da segunda eliminatória da Taça dos Vencedores das Taças. O único golo da partida foi apontado pelo inevitável Gomes, a passe de Frasco. Reveja no vídeo o resumo do jogo em que os portistas asseguraram o apuramento para os quartos de final de um percurso que só pararia na final, em Basileia.



"Uma vitória deixa-nos próximos do nosso objectivo”

É com o pensamento apenas na vitória que Nuno Espírito Santo encara o jogo desta quarta-feira (19h45, Sport TV4), da quarta jornada do Grupo G da Liga dos Campeões, em que o FC Porto recebe, no Estádio do Dragão, o Club Brugge. O técnico dos azuis e brancos deixou bem claro que mesmo em vésperas de clássico com o Benfica, o único pensamento da sua equipa só pode ser este jogo com os belgas de somar os três pontos e dar um passo importante rumo aos oitavos de final da principal competição da UEFA. E revelou também que espera um jogo bem diferente do da primeira mão, em que os portistas venceram por 2-1​.

A importância do jogo nas contas do apuramento
É um jogo importante, como são todos os da Liga dos Campeões. Numa competição tão curta os resultados são muito importantes e neste caso uma vitória deixa-nos muito próximos de poder passar à fase seguinte.

Jogo da Champions em véspera de clássico
Seria um erro pensar em algo mais do que no jogo de amanhã. O nosso foco está na Liga dos Campeões, no jogo com o Brugge, que é para já o nosso único objectivo.

A análise à prestação na Liga dos Campeões
Nunca desvalorizámos o grupo. Sempre tivemos consciência que estavam presentes três campeões dos respectivos países. Sabíamos à partida que ia ser difícil. É um facto que não começámos a fase de grupos como pretendíamos, pois um empate em casa e uma derrota não era o que nós perspectivávamos. A vitória em Bruges mudou-nos e foi determinante. Agora não é altura de fazer contas, mas sim de conquistar os três pontos. Estamos dentro da luta, como queríamos, e esse é o aspecto a realçar.

A titularidade do lado direito da defesa
Temos sorte por ter todos os jogadores disponíveis e isso é muito importante, até porque estão todos muito motivados para jogar sempre. As decisões que temos vindo a tomar nesse posto específico passaram primeiro pela titularidade do Maxi e nos últimos jogos pelo Layún. Para este jogo temos ainda mais um treino para decidir qual dos dois vai jogar amanhã, mas volto a repetir que o que importa para mim é que todos estão disponíveis.

Partida decisiva para o Brugge
Espero que eles arrisquem um pouco mais. No primeiro jogo contra nós eles especularam bastante, deixaram-nos poucos espaços e certamente que amanhã não será assim. Apesar do nosso ultimo empate a ideia de jogo esteve lá. Vai ser fundamental manter o equilíbrio, pois é importante não concedermos muitas oportunidades aos nossos adversários. Nunca abdicaremos da procura do golo e com mais espaços podemos e devemos ser mais eficazes. O nosso foco está nos três pontos e com certeza que com o Dragão a apoiar-nos vamos conseguir. Jogamos na nossa fortaleza, o Dragão também vai jogar.

Depoitre para o futuro
O Depoitre juntou-se a nós já com a época em andamento. Nós apreciamos muito as suas qualidades e embora até agora não tenha sido muito utilizado, certamente que contamos com ele para o futuro.

Doce tradição


25 de outubro de 1972, no Estádio das Antas, foi dia do FC Porto se estrear a receber uma equipa da Bélgica nas competições organizadas pela UEFA. O adversário foi precisamente o Club Brugge que, numa eliminatória da Taça UEFA, perdeu por 3-0, iniciando aí uma tradição que até hoje se mantém: nunca um adversário do país famoso pelo chocolate foi capaz de sair da casa azul e branca com uma vitória nos sete jogos oficiais disputados até ao momento.
A equipa mais representativa da cidade de Bruges regressa 44 anos depois à Invicta para o jogo da quarta jornada do Grupo G da Liga dos Campeões, marcado para as 19h45 desta quarta-feira, no Estádio do Dragão. Será dirigido pelo árbitro espanhol Undiano Mallenco​.
São sete jogos os jogos disputados pelo FC Porto contra equipas belgas na condição de visitado, são cinco as vitórias e dois os empates - um com o Standard de Liège (2-2), nos quartos de final da Taça das Taças, em 1981/82, e outro com o Anderlecht (0-0), na terceira pré-eliminatória de acesso à fase de grupos da Champions, em 2000/01.
A formação da capital da Bélgica foi a que mais vezes defrontou os Dragões (quatro), sempre no Estádio das Antas. O único clube belga a visitar o Estádio do Dragão em jogos oficiais foi o Genk, em agosto de 2010, no início da caminhada para a conquista da Liga Europa, em Dublin - perdeu por 4-2, como manda a tradição.
O FC Porto vai procurar colocar um ponto final numa sequência de quatro jogos caseiros nas provas organizadas pela UEFA, e tentar juntar três aos quatro pontos no grupo que é liderado pelo Leicester, com nove. Do outro lado, o Club Brugge, ainda sem qualquer ponto somado, vai tentar pôr fim a uma série de sete jogos sem vencer na condição de visitante nos palcos europeus. O saldo do emblema belga em Portugal é de uma vitória e três derrotas.
A equipa orientada por Michel Preud’homme, que vem de um empate (0-0) em casa do Zulte Waregem, está no quinto lugar do campeonato belga e já não perde há três jogos. A última derrota foi consentida na receção ao FC Porto (1-2), na jornada passada da Liga dos Campeões.
Na conferência de imprensa de antevisão do jogo, Nuno Espírito Santo sublinhou a importância da conquista dos três pontos neste duelo com os campeões belgas para o apuramento para os oitavos de final da Champions. E convocou os adeptos: “O Dragão também vai jogar”​, sublinhou. Ao lado do treinador esteve o central Felipe, que assumiu que o FC Porto é favorito, mas que terá que estar em alerta máximo.

26/10/16

Aconteceu a 26 Outubro 1923

Neste dia, chega ao FC Porto Akos Teszler, ele que é o primeiro treinador remunerado no nosso clube. O húngaro introduz algumas mudanças, aproveitando o conhecimento obtido na pátria, que então liderava o futebol. O futebol espetáculo chega ao FC Porto, ele que viria a conquistar um campeonato de Portugal, batendo o Sporting na final. Três anos depois da chegada e quando lhe foi negado um aumento salarial – constava que recebia mil escudos por mês, valor considerável para a época, mas cerca de metade do que pagavam Benfica e Sporting – abandonou o nosso país, fixando-se nos Estados Unidos.

03/10/16

Aconteceu a 3 Outubro 2007

Neste dia, a inspiração de Quaresma vale três pontos em Istambul, quando marca, no minuto 90, o golo que desfaz a igualdade frente ao Besiktas. A equipa portista enfrenta um autêntico inferno de fervor clubístico quando entra no relvado do Estádio Inonu, para disputar a segunda jornada da Liga dos Campeões. Foram precisos 90 minutos para libertar a labareda do dragão, mas aconteceu.

23/09/16

Aconteceu a 23 Setembro 1951

Neste dia, começava mais um campeonato nacional. Na estreia, em Marvila, o FC Porto vence o Oriental por 3-2 (dois golos de José Maria e um de Vieira), dando início a uma excelente primeira volta, em que só perdeu um jogo, no Bessa. O pior veio depois, quando o treinador Eladio Vaschetto aproveitou as férias de Natal para ir à Argentina e nunca mais voltar. O FC Porto entregou o comando da equipa ao espanhol Passarín, mas se na primeira volta somou 22 pontos, na segunda ficou-se pelos 14, acabando em terceiro lugar, a cinco pontos do campeão Sporting.