30/08/09

Naval 1 Porto 3

O Porto venceu ontem à noite o jogo na Figueira de Foz por 3-1. Os dragões inauguraram o marcador por Falcão (8'), ampliaram por Silvestre Varela (61') mas permitiram o 1-2 com um tento na própria baliza de Rolando. Aos 77', Farías "matou" o jogo. De destacar o excelente jogo do Falcão, com grande sentido posicional na área da Naval. Helton esteve com algumas aventuras que lhe podiam tramar a vida mas soube resolver as asneiras por vezes feitas. Na defesa, há a destacar o excelente jogo de Fucile tanto na direita aonde começou quer tambem na esquerda onde acabou o jogo. A dupla de centrais esteve como sempre muito bem, só com o pormnenor do auto-golo de Rolando que querendo despachar a bola para canto, meteu-a dentro da baliza antecipando-se ao avançado da formação navalista. Álvaro Pereira jogou muito mal e por isso levou um puxão de orelhas do Mister que o tirou, metendo Sapunaru no seu lugar. No meio campo, Fernando esteve muito atento aos contra-ataques da Naval, Raul Meireles e Bellushi não estiveram mal mas poderão fazer muito mais do que fizeram ontem. Penso que temos um meio campo de futuro e bem guarnecido. À frente, Mariano não jogou muito bem e Varela a par de Falcão foi dos melhores em campo. Este extremo teve cada tirada pelas linhas e pelo meio que só o redes e a falta de inspoiração no momento de finalização não permitiram que ele marcasse mais algum golo. Enfim, o jogo em que jogamos o suficiente para merecer a vitória e qb para somar mais 3 pontos.

1 comentário:

Dragaopentacampeao disse...

Foi mais uma exibição mediana, com altos e baixos, demonstrativos de que a equipa ainda não está a render o que o seu treinador pretende e o que a sua massa adepta exige.

O plantel é servido por atletas de eleição, pagos a peso de ouro e nem as saídas de três dos seus expoentes da época passada justificam um futebol ainda tão pobre.

Temos que dar tempo a que os processos de jogo sejam assimilados pelos novos jogadores e que outros recuperem a boa forma.

Meireles e Rodriguez, por razões diferentes, ainda não rendem o que deles se espera.

A fraca oposição foi um dos factores que contribuíram para a vitória folgada, apesar de ainda assim, a equipa não conseguisse evitar alguns riscos que correu desnecessariamente, face ao desacerto mais por desconcentração, de alguns elementos a quem se exige outra performance (Helton e Rolando).

Já de Mariano nem vale a pena falar porque seria «malhar no ceguinho».

Um abraço